“Grande sertão: veredas” no teatro

Marco Antonio Martire  Textão   “Grande sertão: veredas” no teatro

“Grande sertão: veredas” no teatro

O sucesso teatral de “Grande sertão: veredas” demonstra como obras literárias de exigente leitura podem encontrar seu leitor ou seu público, mesmo se criadas em função de ousados critérios estéticos, em todos os sentidos – no caso de “Grande sertão…”, a composição genial de Rosa com a linguagem. Não vi a peça ainda, comento apenas o seu sucesso, que é o sucesso também da obra, por que não? Pensando para além da linguagem, sempre muito comentada quando se fala desta obra, quero destacar também a narrativa, em que saltam aos olhos dois temas dos quais o brasileiro morre de medo: o clássico pacto com o coisa-ruim, sempre presente em nossa cultura, desde o cordel até à academia, e o amor “homossexual” entre os protagonistas, dois jagunços assassinos, expressão mais pura da macheza do sertão. Isso em páginas, tidas como leitura exigente, de lá para o palco do CCBB. Que legal!

Sem comentários
Deixe um Comentário: